Formiga sapiens

Homo formiga sapiens

Para Vitor Bustamante

Os cientistas dizem que existem hoje três tipos de espécies racionais no universo, conforme o nível de controle de energia que conquistaram ao longo da sua evolução. A mais burrinha, ou melhor, a menos evoluída, é a espécie do tipo 1, que domina toda a energia de um planeta. Ela controla o clima, as placas tectônicas, os recursos naturais, as correntes marítimas, as auroras boreais, os vulcões, os arco-iris, os outros tipos de vida, e sabem tudo o que acontece na bolinha sideral onde vivem. Os cientistas calculam que o homo sapiens se tornará uma espécie do tipo 1 por volta de 2100. Daqui a uns 80 anos, portanto. Até lá, continuamos sendo zero-alguma-coisa, tentando controlar pelo menos o salário até o fim do mês. Segundo eles, a internet é o primeiro degrau rumo a esse domínio planetário.

Já as espécies do tipo 2 dominam a energia de uma estrela, isto é, controlam as explosões solares, as tempestades de raios ultravioleta e todos os planetas ao seu redor. Imagino também que esses seres não gastam dinheiro com protetor solar, nem com óculos escuros. Tiram fotos de casamento abraçados nos anéis de algum irmão de Saturno; podem prolongar o entardecer, se estiverem namorando; ou atrasar o amanhecer, caso percam a hora de levantar. Finalmente, existe o tipo 3, formado por espécies que dominam uma galáxia inteira. Sobre esses, falaremos adiante.

Recentemente, um amigo enviou-me um vídeo mostrando que inteligências extra-terrestres superiores estão preocupadas com os danos que nós podemos causar ao equilíbrio interestelar, com nossa mania de destruir, matar, poluir e explodir átomos. Pelo que entendi, alguns vizinhos do tipo 2 não gostaram do barulho das nossas duas Guerras Mundiais, e assim que colocamos o pé fora da toca, isto é, pisamos na Lua, eles reclamaram pros tipo 3, pedindo providências.

Os tipo 3 atenderam a queixa, e em 1969 – no auge da Guerra Fria – vieram até aqui, avaliaram a situação e só não acabaram conosco na hora porque alguns espíritos elevados, ex-terráqueos, intercederam e pediram que nos dessem uma segunda chance. Segundo o vídeo, foi uma reunião tensa, nas proximidades da Lua. Depois de muito bate-boca, os tipos resolveram dar um prazo de 50 anos para entrarmos nos eixos. Em números exatos, temos até 2019 para aprender a viver em paz entre nós e em harmonia com o planeta e nossos vizinhos estelares. Depois disso, bum!, um meteoro, um índio ou coisa parecida virá fazer a limpeza cósmica. Do jeito que o mundo anda – e faltando apenas 4 anos para a data limite – tudo indica que não escaparemos dessa. Vamos desaparecer sem sair do zero na escala evolucionária.

Os cientistas não acreditam nessas ameaças celestiais. Para eles, as espécies tipo 1 não sabem que existimos. As do tipo 2 e 3 sabem, mas simplesmente nos ignoram, porque diante do seu grau de evolução seríamos meras formigas, sem condições de diálogo ou intercâmbio de interesses.

Prefiro acreditar nas duas possibilidades: não passamos de formigas, mas estamos colocando em risco o pic-nic dos vizinhos. Se eles não tomarem cuidado, invadiremos também seus jardins, hortas e armários da cozinha. Acho que cedo ou tarde vamos acabar levando uns bons pisões. No fundo, quem estava certo era o visionário cronista Paulo Mendes Campos: formigas ou não, somos os chatos da Via Láctea.

Visão da física teórica = https://www.youtube.com/watch?v=7JhiFPUHvug

O vídeo Data Limite = https://www.youtube.com/watch?v=4JxukHvGVzE

 

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *